Foi assim...

Você chegou como brisa suave,  em tarde de outono.
Me tocou de leve, timidamente, num breve sussurro ao pé do ouvido.
Disse baixinho quero-te meu anjo, sou teu inteiro...
Minha sereia, em pensamento devoro-te inteira, como bicho em teu corpo me sacio, enlouqueço.
Teu olhar de menina mulher me aquece o coração e desperta em mim amor, desejo, paixão.
Percorro com o olhar todo o teu corpo... E te vejo nua... Plena... Indefesa perante meu desejo.
Como anjo, como flor... Que colho aos primeiros raios do amanhecer após noite de luar.
Minha querida criança, amo-te tanto e com tal zelo que sinto doer o peito...

E assim, inundou-me de palavras e promessas e o amor aos poucos agigantou-se em mim,  tal qual tempestade de areia no deserto.
E como no deserto, perdi meu norte. E me entreguei em suas mãos incondicional, sem defesa ou argumento. E você se tornou meu farol, meu porto seguro... Meu amor... Meu anjo. 
 E agora você se foi, não mais tenho paz ou sossego e em meu peito pranto, saudade.
Saudade dos sonhos que juntos sonhamos, dos beijos não dados, da alegria incontida quando ouvi tua voz a primeira vez, foi como ver o mar...
Se foi e nem um ADEUS... Como um sonho bom apenas lembranças me deixou...
Lembranças que guardarei pra sempre em mim.
Ahtange

2 comentários :

  1. Oi minha linda!
    Que coisa mais fofa escreveu, adorei!
    Aproveito para te mandar um abraço de urso e
    um suber bjuu!

    ResponderExcluir

Olá, este é um sonho estou lutando muito para torná-lo uma realidade. Dê sua opinião, critique de forma construtiva.
Obrigada, um abraço indelével.
Carinhosamente Ahtange.