Literatura Nacional x Estrangeira


Olá pessoas queridas, o assunto hoje é meio polêmico.
Trata-se de autores nacionais x internacionais. Briga injusta essa. Trouxe lá do blog da Adriana Brazil. Entenda: não sou contra a literatura internacional e tenho meus autores do peito e muito já os li. A questão aqui, é o espaço que é negado para os autores nacionais. Imaginem vocês que dei um exemplar do meu livro para minha filha levar para a escola e mostrar para a professora e esta pergunta: - Nossa! Que legal, ela já morreu?! Minha filha ficou bege e sem graça respondeu: - Não tia, esta é a minha mãe. Os colegas também não acreditaram, ou seja, tem que morrer para ser publicado e reconhecido?
Agora mesmo recebi este e-mail de uma editora que pedi para avaliar meu livro.
E até agradeço, pois algumas nem se dão ao trabalho de responder.

Olá Ahtange

Como vai?
Não avaliamos obras desta forma.
Se interessar um orçamento e uma avaliação do material, por favor nos envie em arquivo doc.

Sem mais,
..............
Traduzindo, não queremos papo você é nacional não é conhecida , não vende milhares de cópias e não vamos arriscar. Lembrando que o tal orçamento nem em sonhos posso pagar o valor cobrado.
Então continue lendo e junte-se a esta corrente pela oportunidade e reconhecimento para autores nacionais.
As grandes editoras devem começar a rever seus conceitos de publicação, tem muita gente boa que só precisa de oportunidade.  Ainda bem que algumas de menor porte estão percebendo e arriscando.
Adriana Brazil, estamos juntas nessa luta.


Olá pessoal!
Tem um tempinho que estou querendo escrever sobre esse assunto, e finalmente consegui terminar o texto, que já estava rascunhado por aqui.
A opinião que se segue, reflete meus dois aspectos, de leitora e autora. Mas, antes que venham dizer que a verdadeira razão é porque sou escritora, adianto que não. Vou argumentar e cada um tem sua opinião a respeito, a minha é esta: uma concorrência desleal.
Sempre fui leitora, desde pequena aprecio os livros, e foi ao lado do escritores nacionais que descobri o prazer da leitura. Uma época que não existia acessos a internet como agora, compreendo. Um tempo onde não existia tanta informação, um fato. Porém, hoje, ao entrar numa livraria, fico bastante inconformada, e este é o motivo deste post.
Não estou aqui para criticar quem apenas curte ou prefere literatura internacional, os gostos se diferem sim, mas, como concorrer com a literatura estrangeira, se ela está totalmente espalhada nas livrarias comprimindo os autores nacionais? Ei! Espera aí! E a valorização da leitura nacional?!
Sim, eu também leio livros estrangeiros, a série Hush Hush pra mim, é maravilhosa, a questão não é essa. A questão é: Como incentivar a leitura se não valorizamos a "prata da casa"?! Como criar uma futura geração de apaixonados por livros, se as referências tem sido incutidas de forma bastante escandalosa que os livros de sucesso são os internacionais?! Será que algum dia meu filho, meus netos vão querer ser escritores no Brasil?!
Será que haverá o dia que entrarei numa livraria e verei uma disputa LINDA entre autores nacionais de talento nos lugares de destaque?!
Não é porque me tornei uma autora nacional, mas eu sempre apoiei e ainda apoio a nossa literatura. Meu desejo não é criar burburinhos, e sim ficar registrado, como uma incorrigível sonhadora, de um dia contemplar, uma criança dizendo que decidiu ser escritor(a) porque leu um autor nacional!
Parabenizo a todos os blogues literários que apoiam e propagam a nossa literatura!
Um dia, talvez você encontre com uma criança e ela diga: "Quero ser escritor(a) assim como a Adriana Brazil, ou Neiva Meriele, ou Mallerey Cálgara, ou como Maurício Gomyde, Fábio Brust, Paula Pimenta, ou Libério Lara, ou Samanta Holtz, ou Fernanda Meireles, ou Érica Lopes, Fernanda Belém,ou Ana Paula Bergamasco, Márcia Paiva...
Sim, vale a pena sonhar!

Queremos mais que sonhos, queremos realizações.
AUTORES BRASILEIROS É TUDO DE BOM E EU APOIO!

11 comentários :

  1. Em sua caixinha de sentimentos não deixe faltar: o perdão, a solidariedade, a compreensão, a tolerância, o carinho, o abraço amigo e acima de tudo o amor.
    Compartilhe-os, verá que em pouco tempo a caixa se tornará pequena, pois tudo retorna.

    Obrigada pela visita e comentário no Clube!
    Volte sempre!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Olá querida, tão bom vc aqui.
    Obrigada pela lembrança, as vezes as coisas ficam tão difíceis que acabamos esquecendo coisas importantes como estas que vc citou.
    Muito obrigada pelo carinho.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  3. Eu amei esse post amiga, te falei né? Vem cá alguém me explica ou me responde: existe alguma editora brasileira hoje em dia que publica sem cobrar???

    ResponderExcluir
  4. Acho que não Neivinha. Eu até concordo que cobre, mas poxa um valor que você pagar. E não o absurdo que estão cobrando. Se eu tivesse essa grana publicaria por conta própria não é? Vamos continuar lutando amiga quem sabe não conseguimos?
    Bjos!

    ResponderExcluir
  5. A questão, acredito eu, nem seja a literatura estrangeira x a literatura nacional. São as chances que os estrangeiros tem porque em outros países, ao contrário do nosso, a leitura não é desvalorizada. O resultado: pessoas querendo cada vez mais investir na literatura.
    Meus dois últimos posts (os quais eu convido que você leia e opine) foram sobre este assunto, da situação dos NOVOS autores no Brasil, afinal, Machado de Assis, Monteiro Lobato tem lugar em qualquer estante, e foram autores nacionais.
    Esta nossa geração Crepúsculo é que está complicando as coisas, foi um grande best seller e hoje penso que a briga maior entre autores nacionais ou internacionais, seja entre os realistas e os de contos fantásticos.
    Como os contos fantásticos não são a minha praia (não tenho preconceito, apenas não tenho a menor vontade de escrever tal gênero) tudo dificulta para mim.
    As grandes editoras investem sim em quem escreve este gênero, posso citar o André Vianco como exemplo. A velha história de lobos, vampirinhos e... eu, particularmente, cansei disso!
    Era-se o tempo que contos fantásticos eram Drácula e O Senhor dos Anéis. Hoje qualquer coisa "fantástica" atrai pessoas de todas as partes e, mesmo depois lendo as críticas negativas, tais pessoas continuam investindo no fantástico, tanto para ler quanto para escrever.
    E com eles, a concorrência complica.
    Em relação aos blogues literários, o que vejo é muito oportunismo. Raros são os que aceitam e-books e parece que novos autores não tem valor nenhum e precisam além de implorar, se tornarem verdadeiros papais noéis para serem resenhados por blogues que nem temos a certeza de que haverá um feedback dos seguidores.
    Sabe o que estou fazendo? Desistindo da ferramenta que eu acreditei ser a mais poderosa que é a internet, onde só vem gente chegando até você prometendo que vai comprar seu livro e nunca compram. Eu consegui vender pela internet sim, mas por pessoas de outros países, os meus compatriotas raramente me dão apoio.
    Estou optando em distribuir por consignação em livrarias e felizmente, as vendas ali, acontecem.

    http://escritoslisergicos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Um outro detalhe que eu esqueci de mencionar: Como muitos de nós, que optamos por editoras por demanda que cobram além de um preço alto não colaboram em nada com a divulgação, poderemos competir com A Hospedeira da famosíssima Stephanie Meyer a míseros R$ 9,90 no submarino! Quem prefere gastar esta quantia para ler algo renomado a arriscar-se em um autor que nem ouviu falar e seu livro está entre R$ 30,00 a R$ 40,00? É uma competição muito injusta...

    ResponderExcluir
  7. Realmente você tem razão meu amigo.
    Esta infelizmente é nossa realidade um país onde desfilar pelado no carnaval é arte e músico de rua é bandido, não poderia ser diferente. De fato o preço dos nossos livros desanima. Nossa! Fiquei sem fôlego ao término do seu comentário.
    Obrigada pela participação.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Oi Ahtange,

    Concordo em vários pontos com o que você disse; é muito dificil para autores nacionais competirem com os internacionais no Brasil. As editoras daqui não conseguem acreditar no escritores brasileiros e acabam indo para o lado de lucro mais possivel simplesmente por que - por terem mais espaço- os autores internacionais vendem mais. Eu também gosto muito de livros internacionais no entanto a cada dia vejo autores brasileiros com potencial para dar mais competição a esse mercado, e pena que as editoras não conseguem enxergar isso.

    ~> Beijusss...;*

    ResponderExcluir
  9. Olá Dayane,
    Felizmente estamos lutando para que isso mude e esperamos que aconteça logo. Obrigada pelo apoio querida.
    Bjinhos!

    ResponderExcluir
  10. É, isso realmente é muito injusto, lá no meu blog vamos montar um espaço especial para literatura nacional. Nós, BRASILEIROS, precisamos valorizar o que nasce aqui. As editoras, não querem arriscar publicar um livro novo, eles preferem publicar algo que já fez sucesso lá fora, e isso não é coisa que eu penso, é algo que o próprio dono da editora Intrínseca disse em entrevista.
    Vai entender.
    Abraços, adorei seu blog.
    http://adpiagge.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Olá Alef,
    Seja bem vindo que bom que gostou eu amei sua visita. Volte mais vezes terei prazer em sua visita.
    Pois é amigo, vai entender as pessoas tem medo do novo. Pior para nós que estamos perdendo a oportunidade de ler obras maravilhosas. Acabei de ler 11 noites insones e amei é ótimo.
    Bjos!

    ResponderExcluir

Olá, este é um sonho estou lutando muito para torná-lo uma realidade. Dê sua opinião, critique de forma construtiva.
Obrigada, um abraço indelével.
Carinhosamente Ahtange.