Valorizando o nacional


Olá mi amores, hoje trago mais um nacional perfeito no meu ponto de vista. Bem você deve estar a pensar, poxa mais a Ahtange está fissurada nessa autora, está puxando saco ou os livros dela são bons mesmos?
Só você lendo e tirando suas próprias conclusões, mas posso te adiantar que tu vais se deparar com uma escrita ácida, cortante, despida de moralismos ou hipocrisia é assim que eu vejo e sinto a escrita desta autora. Li dois de seus livros e por esses dias li um terceiro e posso dizer que em todos os anos de leitura que tenho poucos livros mexeram com minha estrutura emocional como este último. Estou falando de algo sentido quase palpável, que pode-se sentir a dor na alma. Foi assim ao descobrir O segredo de Eva.

SINOPSE

Um segredo corroendo por dentro…

Quem poderia entendê-la ou perdoá-la?
Quem seria capaz de dividir com ela o que a sociedade condena?
Eva, uma mulher comum, rodeada de pessoas com quem gostaria de passar o resto de seus dias. Uma câmera fotográfica muda a trajetória de sua vida; retira seu sono; constrói seus medos e a afasta da realidade após conhecer quem jamais esquecerá – Tom. O destino das pessoas que ama está em suas mãos, Eva precisa escolher a forma menos dolorida de magoar alguém. Contudo, quando tudo estiver por um fio e todas as esperanças se perderam, um novo segredo será revelado, porém, Eva jamais o saberá… Um segundo segredo que será exposto somente aos leitores e a eles caberão a difícil tarefa de guardá-lo de forma angustiada ou sonhar com um encontro inesperado com Eva, revelando a verdade.

Minhas impressões:

Bom, eu até então não tinha sido verdadeiramente desafiada no sentido literal da palavra, esta leitura provocou em mim inúmeras reações, medo, estranheza, síndrome de identificação? Logo no início ainda no prefácio começa a provocação.
" O que dizer com palavras quando os sentimentos transbordam a alma e  nos capturam como refém de uma peça existencial que margeia o lúdico e o real?"

Pois sim, caro leitor isto me perguntei desde que em choque li a última página e fechei este livro sobre meu peito que arfava em soluços, sentidos doloridos... Sim, eu não sei amar pela metade e amei como Eva, amo como Eva... A linha que separa o real da ficção é tão tênue, pior ainda quando o autor te desnuda de forma tão irritantemente verdadeira, que te instiga a olhar para tuas próprias misérias interiores...
O núcleo principal do enredo é um grupo de amigos, pessoas singulares eu diria, cada um com sua própria miséria, mas ligados de uma forma bem bacana, a autora toca em feridas que a sociedade em sua hipocrisia mascara, camufla. O sentido de amizade e lealdade que a autora envolve os personagens é muito rico. Chris, Tabata, Samantha e Eva. Quatro amigos, quatro vidas que se entrelaçam numa trama surpreendente do início ao fim.

_ "Estou dizendo que o dia que você vir a sentir o que estou vivendo, meu ombro estará aqui, irei te abraçar e afagar seus cabelos e dizer: estarei aqui até passar amiga." 

Uma história que te mostra o valor da amizade de uma forma que choca, quando um é capaz de abdicar da própria vida em favor do outro. Eva vive uma história que trás a tona valores já esquecidos, como lealdade, compaixão. Porém, toca num ponto que na minha opinião é algo que não se pode julgar ou mensurar a dimensão deste sentimento quando desarruma a vida, a razão e todo o ser de um indivíduo tomado por um amor, não falo de paixão, mas de amor, aquele do qual tu te tornas refém e nada podes fazer quanto ao sentir.

Esta é a dor da espera, do amar o que não pode ser possuído, o sentir que tira dos pulmões o ar e a respiração dói pela ausência. De uma presença que sufoca e te torna refém. Eva te leva de encontro a um mundo repleto de questionamentos que a resposta depende do prisma de quem vive, ou sente na pele a dor da incerteza ou certeza da desesperança, que se agarra a uma esperança vã. A forma como a autora te prende no contexto existencial de Eva é assustador pela veracidade do sentimento imputado a personagem que salta das páginas e tu leitor te torna único com ela.
" Em alguns momentos eu cheguei a ouvir meus próprios pensamentos escritos pela autora". 
E ainda de forma brilhante Adriana consegue chamar atenção do leitor para uma causa de suma importância. As dificuldades de um escritor que Eva coloca tão bem, em seus devaneios literários e existenciais que só alguém que tem no sangue o amor pela escrita é capaz. De uma ou de outra forma este é um livro para ser degustado aos goles como ela me aconselhou, ou ele te atropela como fez com  a minha estrutura, pela força contida em cada parágrafo te obrigando a refletir e olhar para dentro de si de forma  despudorada desconstruindo teus conceitinhos ordinariamente estabelecidos de acordo com o que esperam de ti, não o que tu sentes de fato. 

Um amor que chega a doer em ti... Tu torce, chora, se desespera e nada podes fazer quanto aos acontecimentos que te afirmo, são de tirar o chão do leitor, pois a forma que o tal segredo é revelado é de uma genialidade desconcertante. Bom eu já não tenho palavras suficientes e que possam ser fiéis a esta obra por tudo que ela apresenta, desde a diagramação perfeita, a escrita da autora e o desfecho? Ah queridos é um soco no estômago. Ainda não me refiz do choque e estou morrendo de medo de não ter aqui conseguido traduzir em palavras o que foi para mim partilhar este segredo.
Adriana Vargas eu só posso dizer mais uma vez que EU TE AMO CARA, SEM MAIS, EU TE AMO!!!!!!!

14 comentários :

  1. Poxa, amore, acordar lendo esta resenha, ou é um ótimo presságio, ou veio realmente para mexer com o meu dia. O peito agora apertou, viu? Amei que amou meu livro. Amo quando meu trabalho é reconhecido, não apenas pelas letras contidas, mas pela identificação dos sentimentos que há nele. Sou uma escritora realizada por isso.
    Beijos!
    Obrigada!
    Adriana Vargas

    ResponderExcluir
  2. Poxa, Mi amore, sua resenha me deixou com um pouco de dor aqui, sei lá preciso saber deste segredo, e devorar este livro. Preciso muito dele.

    Beijos Fê :*
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não tem como não amar e sem apaixonar pela forma poética que a Adriana escreve.
    Eu li o livro duas vezes e nas duas as minhas emoções ficaram a flor da pele, o livro te envolve de uma forma tão dele que quando vamos vê já estou sentindo na pele as mesmas emoções de Eva.
    Sensacional resenha, traduziu muito bem o que eu sinto em relação ao livro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Não tem como não amar e sem apaixonar pela forma poética que a Adriana escreve.
    Eu li o livro duas vezes e nas duas as minhas emoções ficaram a flor da pele, o livro te envolve de uma forma tão dele que quando vamos vê já estou sentindo na pele as mesmas emoções de Eva.
    Sensacional resenha, traduziu muito bem o que eu sinto em relação ao livro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ahtange! Tudo que eu senti durante e ao término da leitura deste livro ainda queima aqui dentro. Eu não conseguia parar, e quando terminei, alta madrugada, cai em prantos, perdi as esperanças, me senti tão abalada, que mal pude esperar o dia chegar para comentar com alguém sobre o que vi ali. Minhas filhas ainda não tem idade para ler ele, mas já aguardam ansiosas os seus 18 anos, para desfrutarem deste segredo. Que bom que você gostou. Eu não me canso de recomendar este livro. Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Oie,
    Feliz que a leitura tenha mexido tanto com você, realmente é uma maravilhosa surpresa quando um livro pode realizar isso em nós leitores.

    Fiquei curiosa com o segredo agora...\o/...beijokas elis
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Dri, minha diva eu queria ter palavras suficientes para dizer realmente como esse livro mexeu com minhas emoções, ah se eu pudesse falar... Assim como Eva tenho um segredo. E vc é maravilhosa.
    Fico feliz que vc tenha gostado que orgulho de receber um carinho teu flor. TE AMO!

    ResponderExcluir
  8. Fê sua linda, ai meu Deus como sei como és sensível minha nossa já até te vejo aos prantos kkkk se prepara amiga é muita emoção.
    Bjinhos linda.

    ResponderExcluir
  9. Dany querida tão feliz com sua visita amadinha. Realmente Eva nos envolve de forma irreversível é inevitável, não tem como não se apaixonar, sofrer, chorar, amar.
    Obrigada linda e seja bem vinda. E volte tá?

    ResponderExcluir
  10. Ana querida muito bem vinda, que prazer tê-la aqui. Ai amiga eu chorei, gritei e quase surtei quando descobri o segredo é de revirar as entranhas mesmo. Bom saber que outras leitoras surtaram também kkkkk
    bjos mi amor volte sempre.

    ResponderExcluir
  11. Olá Elissandra bem vinda mi amor. Então engraçado que eu imaginei uma porção de coisas, mas não passei nem perto... Foi uma mega surpresa, a Dri foi perfeita.
    Volte sempre bjos!

    ResponderExcluir
  12. Ahtange,

    Nossa, você se emocionou com a leitura do livro da Adriana e conseguiu me emocionar com a sua resenha!
    Ainda não tive a oportunidade de ler os livros da Adriana, mas você me deixou ainda mais instigada e curiosa!
    É muito bom quando um livro consegue nos tocar, não?
    Abraços!

    --
    Priscila Yume
    http://yumeeoslivros.blogspot.com.br/
    http://yumeeocantinhodaleitura.blogspot.com.br/
    @Yumeeoslivros

    ResponderExcluir
  13. Ahtange,

    Nossa, você se emocionou com a leitura do livro da Adriana e conseguiu me emocionar com a sua resenha!
    Ainda não tive a oportunidade de ler os livros da Adriana, mas você me deixou ainda mais instigada e curiosa!
    É muito bom quando um livro consegue nos tocar, não?
    Abraços!

    --
    Priscila Yume
    http://yumeeoslivros.blogspot.com.br/
    http://yumeeocantinhodaleitura.blogspot.com.br/
    @Yumeeoslivros

    ResponderExcluir
  14. Olá Priscila, que bom recebê-la aqui amiga. Seja bem vinda.
    Realmente esse livro é mais do que consegui descrever pode acreditar.
    Bjinhos e volte sempre.

    ResponderExcluir

Olá, este é um sonho estou lutando muito para torná-lo uma realidade. Dê sua opinião, critique de forma construtiva.
Obrigada, um abraço indelével.
Carinhosamente Ahtange.